Weston A. Price 30/09/2016

Várias pessoas me perguntam : “Quem foi Weston A. Price?” quando menciono que minha linha alimentar segue as tradições divulgadas pela fundação que leva o seu nome.

price

Considerado o “Isaac Newton” da nutrição. Um homem importante o suficiente para ser o pilar de uma organização americana forte, com influência na mudança de legislações americanas que regem consumo de alimentos do produtor direto ao consumidor, legalização da venda de leite cru, entre muitos outros tópicos de extrema importância, se nós quisermos proteger nosso direito de:

  • escolher o que queremos comer
  • saber de onde vem o nosso alimento ( mais importante do que você imagina afinal a indústria do alimento gasta bilhões só para ocultar esta informação)

A fundação hoje é presidida por Sally Fallon. Qualquer pessoa pode se associar à organização por U$40 de taxa anual e prepare-se: você vai receber mais informação científica de alto padrão que consegue digerir em um ano. A fundação organiza conferências anuais que atraem grandes nomes mundiais da medicina, nutrição, agricultura e culinária. O evento dura 4 dias e se transforma em um festival de comilhança.  O objetivo principal entretanto, é a educação.

Doutor Price em seu leito de morte pronunciou esta única palavra repetida três vezes: “Teach, teach, teach” E desde então, esta tem sido a força por trás da determinação de Sally Fallon e seu trabalho na Weston A Price Foundation. A fundação organiza cooperativas de alimentos direto do produtor ao consumidor em todo o território americano. Na jurisdição da minha residência quem atende é o Steve Moreau, com o site FarmFreshDirect2u, onde posso comprar leite cru de vaca, de ovelha, de cabra, carnes e órgãos que não se acham mais no mercado, ossos com tutano, ovos, iogurtes de vários tipos, chucrute, etc.

Weston A. Price fez um trabalho único no mundo. Jamais copiado, e impossível de replicar atualmente. Totalmente impossível porque já não é mais o mesmo da década de 1920. Nascido em 1870, ele foi um dentista com uma missão impossível na época: descobrir a razão da cárie e como curá-la. Isso era um problema gigante naquela época e pessoas morriam de complicações decorrentes de dentes podre! Não existia tecnologia para fazer uma restauração. O que acabava acontecendo com muita gente era arrancar o dente, ou todos os dentes, assim como se passou com minha mãe. Pobrezinha que teve todos os dentes arrancados sem anestesia quando era jovem. Não se pode mais imaginar uma tortura destas. É difícil até entender como se sobrevive a tamanha agressão. Tenho certeza que muitos de vocês conhecem alguém, ou alguém que conhece uma pessoa que enfrentou esta terrível provação.

Determinado a encontrar a cura, ele foi visitar comunidades, grupos, civilizações que não sofriam com problemas de cárie. A dentição de jovens e adultos era sadia bem como o resto do corpo e.. da mente! O índice de cárie encontrado era muito baixo e havia registro de reversão. Isso o intrigou bastante e o levou a percorrer o mundo documentando a alimentação e estilo de vida de civilizações isoladas como: vilas da Suíça, Gaelia, comunidades em Pequenas ilhas em volta da Inglaterra, Esquimós,  Índios Nativos da  América do Norte, Melanésia, Polinésia,  grupos que viviam em ilhas nos Mares do Sul, Tribos Africanas, Aborígenes Australianos, os Maoris da Nova Zelândia e Índios da América do Sul.

Conclusão: pessoas que não consomem alimentos industrializados, e estamos falando do açúcar e farinhas brancas que surgiram logo após a I Guerra Mundial e também outros processamentos como leite em pó, pasteurização, enlatados. Todos os alimentos que surgiram da necessidade de enviar comida para soldados em campos de batalha. Estas pessoas isentas deste consumo, demonstravam vitalidade e saúde invejável, e o que chamou mais atenção ainda do dentista: uma arcada dentária ampla, larga, maxilares largos e espaçosos para encaixar todos os dentes que eram grandes.

O trabalha fascinante dele havia somente começado. Ele voltou nestes lugares 20 anos mais tarde e relatou que as gerações que se seguiram não demoraram para adaptar o consumo dos alimentos desnaturados e já mostravam os problemas decorrentes: arcadas que não comportavam todos os dentes, devido à nutrição inferior do feto e infante, dentes amontoados e consequentemente mais fracos e com inclinação à deterioração rápida. A consequência deste problema? Saúde generalizadamente inferior aos seus ancestrais em aspectos de vitalidade e de disposição mental positiva.

Incrível!

Fotos como estas mostram o antes e do depois de membros da mesma comunidade e a mudança no formato da face que afina no queixo é evidente.

DrWestonPriceSeminoles

Os resultados deste compêndio científico irrefutável está relatado no único livro publicado pelo dentista: “Nutrition and Physical Degeneration.” 

Nutrition and Physical Degeneration

A conclusão acredito que vocês já detectaram por ser auto evidente: Alimentos naturais são os melhores alimentos para construir um corpo saudável.

Dr Price observou princípios básicos em todas as diferentes culturas em diferentes continentes:

  • Dieta rica em gorduras animais (vegetarianismo não existia) e o consumo de todos os órgãos dos animais. E todos consumiam alguma parte do animal cru, geralmente o fígado para máxima absorção das vitaminas e minerais.
  • Preparo de alimentos seguiam certos processos que eram repassados de geração a geração e passamos a chamar de métodos tradicionais sendo o principal a fermentação. Até porque era a única maneira de preservar alimentos. E todos os grãos eram deixados de molho por muitas horas ou dias para amolecer sem saber que estavam neutralizando o ácido fítico.
  • Dieta especial para futuras mamães E PAPAIS. Sim! os casais eram iniciados em uma dieta rica em gorduras especiais tão logo se uniam. Na Suíça por exemplo, uma vaca prenha com a primeira cria era monitorada e levada às partes mais altas das montanhas para comer a grama que cresce super rápido na primavera. Depois de dar à luz o seu primeiro bezerrinho, o colostro era o presente dourado dos noivos. Esta vaca era ordenhada e o creme do leite e o leite servido abundantemente. E assim cada região tinha sua tradição. Nas ilhas era alguma forma de ovas de peixes, nas florestas era o fígado de algum animal ou certos insetos. Sem nenhum recurso científico eles sabiam que gorduras eram essenciais na produção não só  de bebês saudáveis, mas muito mais importante – de óvulos e espermatozoides saudáveis.
  • Alimentos serviam como remédios. Toda cultura tinha sua medicina culinária. Assim como Hipócrates que nasceu quase meio milênio antes de Jesus disse: “Let food be thy medicine and medicine be thy food.”Deixe seu alimento ser seu remédio e seu remédio ser seu alimento.  
  • Todos usavam sal.
  • Todos faziam caldo de ossos.
  • Todos eram fisicamente ativos.

Como você pode ver, estes princípios não são muito antigos. Minha avó que nasceu em 1907 e viveu na área rural de Blumenau seguia muitas destas tradições com exceção do alto consumo de açúcar. Mas a gente cresceu comendo bolo de sangue, sopa com ossos, fígado de galinha e de boi, bucho, salsicha de sangue, o pão era feito com fermentação natural, o feijão ficava de molho de um dia pra outro. E hoje, os netos dela estão comprando feijão cozido enlatado, pão de 5 min na padaria e comendo apresuntado  que …honestamente sei lá do que é feito isso. Tudo pela comodidade. E daí quando a comodidade vira incômodo em forma de todo tipo de doença, o bicho pega.

É evidente que não podemos voltar atrás e viver do jeito que os nativos americanos viviam em 1910. Mas podemos separar o joio do trigo cortando processados e arriscando um pouco mais na cozinha tradicional. Cozinhar em família é uma atividade terapêutica, une amigos e aquece o coração.

Desde que adotamos a linha de orientação da Weston A Price Foundation nunca mais pegamos uma gripe forte ou amigdalite ( eu tinha 1 a cada inverno, era sagrado!). Meu nível de energia melhorou sem comparativos. Aos 42 anos eu comecei a correr, algo que sempre pareceu inatingível. Convido você a fazer esta transição também.

 


Meu nome é Cristine e este blog é para você. Ele também representa um novo começo para mim.

Sou apaixonada por saúde, moro na Florida, USA e administro nossa empresa de exportação.
1 Comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *