Você tem medo do escuro? 02/12/2016

Escuridão  – Saúde – Ritmo Circadiano

“Pelos dois últimos séculos, os humanos estão participando de um experimento para o qual ninguém assinou nenhum formulário de permissão.” Barbara Taylor fala sobre a poluição luminosa que está engolindo o mundo e afogando a escuridão.

Acabei de ler a última página do livro “Learning to Walk in the Dark” Aprendendo a Andar no Escuro, escrito por Barbara Brown Taylor e posso afirmar duas coisas:

  • O livro me pegou de surpresa porque achei que era uma coisa e era outra. A surpresa foi muito agradável, eu me peguei rindo, chorando e tomando notas
  • Nunca mais vou pensar sobe as trevas, sobre a escuridão da mesma forma. Uma nova visão noturna se abriu para meus olhos

Apaguem as luzes que eu quero ver a escuridão!!!!

MILKY WAY

Quando uma informação muito surpreendente chega até mim, especialmente quando eu me pergunto: “Como é que eu nunca pensei nisso antes?” eu fico fascinada e por alguns dias, noites, semanas eu me dedico a estudar o assunto! E tem tudo haver com saúde! por isso vou compartilhar e comentar alguns trechos do livro que abrange muitas áreas das nossas vidas, mas vou me conter mais ao que rege o legado físico.

“Cada vez que acendemos uma luz após o anoitecer, receptores nos nossos olhos e pele enviam mensagens às nossas glândulas adrenal, pituitária e pineal para parar o que estão fazendo e se preparar para o novo dia que surge. Luzes fluorescentes e telas de computadores piscam de 60 a 120 ciclos por segundo, suficiente para enganar o cérebro que pensa que o sol está nascendo, mas mesmo a luz de um carregador de celular ou um relógio que brilha no escuro pode alertar seu corpo que o dia está raiando. Quando isso acontece, a sua glândula adrenal começa a bombear adrenalina para a corrente sanguínea para gerenciar o stress do dia. Isso avisa sua glândula pituitária para cessar a produção de hormônios de crescimento que restauram seus músculos e ossos à noite. Isso também manda comando para sua glândula pineal, que só funciona no escuro, para interromper a produção de melatonina, o hormônio que regula seu sono. Não me surpreende que remédios para dormir têm sua própria sessão em muitos supermercados. Acender a luz no seu criado mudo pode até ajudar você a ir ao banheiro sem esbarrar na parede à noite, mas atrapalha sua bioquímica.

Os efeitos da falta de sono incluem pressão e glicose altas, depressão e problemas do sistema imunológico, aumenta o risco de úlceras e de doenças coronárias, perda de memória e aumenta o apetite. Todo acidente nuclear até hoje aconteceu à noite. O mesmo aconteceu com o vazamento de óleo de Exoon Valdez em 1989. Sono na direção é responsável por 100 mil acidentes e 1500 mortes por ano. Médicos que trabalham à noite são duas vezes mais propensos a ler resultados de exames equivocadamente, aumentando a probabilidade de tomarem decisões erradas em relação aos pacientes. O índice de divórcio de casais onde pelo menos um dos dois trabalha à noite é 10% mais alto que a média nacional. O risco de câncer de mama cresce 50 a 70% em mulheres que trabalham à noite.

Desequilíbrio ecológico, cegueira noturna, falta de sono, segurança nuclear, saúde física e mental – estamos pagando um alto preço pelo nosso medo do escuro. Mas há os que alegam que sem luz artificial a noite seria algo muito mais perigoso oferecendo cobertura para pessoas com má intenção. Um livro foi escrito contradizendo esta teoria, por Jane Brox, chamado ‘Brilliant: The Evolution of Artificial Light’.

Escuridão é necessário para a nossa saúde. Sem ela, adoecemos com tanta luz. Pior ainda, levamos toda a criação conosco e o planeta todo paga o preço pelo nosso medo da noite. Quando desligo a luz à noite a escuridão só dura um breve momento e dentro da minha casa os pequenos olhos se acendem: carregador do celular, o botão da impressora, o rádio, o relógio do microondas, do fogão, a luz na lateral do meu computador me avisando que ele está dormindo, todas projetando sombras nas paredes. Quando foi que eu pensei que isso fosse escuridão?

A invenção da lâmpada incandescente mudou a vida no planeta de maneiras inimagináveis e a maioria das pessoas nem se dá conta. A luz artificial está tornando obsoleta, até o sistema de navegação das tartarugas que confusas com luzes nas praias, caminham desorientadas na direção errada e se matam atoladas em areia longe do mar para onde não conseguem voltar depois do exaustivo trabalho de botar ovos.”

Tanta destruição por medo da escuridão. “A que atribuímos todo o nosso medo da escuridão?”- a autora questiona.

Todos os pais responsáveis, chamam seus filhos pra dentro de casa quando a noite cai.

“Os perigos da escuridão são como as leis da gravidade. Ninguém consegue explicar muito bem mas todo mundo concorda com sua existência.” – ela continua. “Quando a noite cai, crianças são chamadas pra dentro, a luz de fora é acesa, cortinas são fechadas, portas trancadas. O interior das casas se tornam um show de luzes artificiais. Não há nada que não se passa fazer dentro de uma casa assim! Exceto ver a via láctea que desapareceu, se tornou invisível para 2/3 da América apesar de estar disponível no céu todas as noites de céu claro. Cada vez que um novo posto de gasolina abre na BR, as luzes projetadas para atrair motoristas sonolentos exterminam mais uma camada de estrelas. Que diferença isso faz? Se isso não lhe interessa talvez é porque você nunca viu a via láctea espalhada no fundo negro do universo com suas infinitas estrelinhas. Deite-se ao relento e observe-a, e isso é material suficiente para lhe deixar tonto por dias e dias. Se você alguma vez questionou seu lugar na vida e seus problemas, este é um bom lugar para começar a colocar as coisas em perspectiva.”

“Uma das edições da National Geographic anos atrás, informava na capa um assunto incomum: O fim da noite: Porque precisamos da escuridão. O artigo escrito por Verlyn Klindkenborg foi entitulado: O Desaparecimento da Nossa Noite. A escuridão é essencial para nosso bem estar físico. Precisamos de escuridão total para dormir. O ciclo circadiano que governa o nosso tempo acordado e adormecido bate no ritmo do planeta e dos astros e afeta tudo em nossas vidas, da química biológica aos nossos relacionamentos. Quando mexemos com isso, atrapalhamos o bem estar de todas as criaturas cujas pupilas encolhem ao acendermos uma luz. O que fazer então, com a determinação humana em iluminar a noite – e afogar a escuridão das nossas vidas e do nosso mundo ao ponto que todas as criaturas sofrem como resultado da nossa inventividade?”

“Eu nunca questionei a necessidade de todas estas luzes, já que o perigo das trevas era mais aparente pra mim de dentro de casa do que lá de fora.”

“Eliminar as trevas é uma das grandes prioridades da agenda humana. Não só no campo físico como no metafísico. Eu posso entender como antes do advento da eletricidade, quem tinha que esperar 14 horas na escuridão sem ajuda de uma lanterna, tenha se tornado super sensível ao poder da escuridão, pedindo a Deus por libertação na forma de uma manhã ensolarada. “

E ela atribui grande parte da nossa obsessão por luz ao trabalho das igrejas. “Especialmente se você foi exposto a uma religião cujo único objetivo é livrar você das trevas e da escuridão que mora no seu próprio coração.” Doutrina esta que ela entitula de “espiritualidade solar total – já que o foco das igrejas é manter a luz divina em nossas vidas 24 horas por dia absorvendo e emitindo a luz da fé. Elas enfatizam a fé, a certeza da presença divina em forma de luz, a certeza da crença e da orientação de Deus que pode ser vista e testemunhada pela luz da oração. Quem não quer viver na presença da luz de Deus eternamente?”

“Os ensinamentos religiosos se fortificam ao dividir as realidades em pares antônimos: bom/mal, igreja/mundo, espírito/carne, sagrado/profano, luz/escuridão. Mesmo que você não seja cristão, fica fácil saber qual dos dois lados é o alto e qual é o baixo. Em cada caso, a linguagem de oposição funciona ao colocar metade da realidade próxima de Deus e a outra metade afastada de Deus.”

A verdade é que nós esquecemos da noite, da escuridão e quão importante as trevas são para a nossa saúde, para o nosso planeta. “Quando mergulhamos na escuridão total, do tipo que você não pode nem ver sua própria mão, todos os outros sentidos acordam.” O cérebro muda de canal.

“Clark Strand que passou tempo em um monastério Zen estudou e escreveu artigos sobre a escuridão e o sono porque ele mesmo tinha muita dificuldade para dormir.” Matéria muito interessante que passa despercebido a nós. Escutem isso: “Por 10 anos ele acordava no meio da noite e por algumas horas ele ficava ali acordado pensando o que havia de errado com ele até adormecer de novo. Em seus estudos ele aprendeu numa pesquisa conduzida pelo Instituto Nacional de Saúde Mental que não havia nada errado com o padrão de sono que ele tinha.

Antes da invenção da lâmpada quase ninguém dormia 8 horas de uma vez. Um experimento foi realizado colocando pessoas em áreas remotas sem eletrecidade e primeiramente elas dormiam 10 a 11 horas por noite, provavelmente recuperando sono atrasado. Depois elas reduziram o sono para 8 horas, mas não consecutivas. Com 14 horas de escuridão ininterruptas a maioria deitava relaxando por algumas horas antes de pegar no sono. Algumas horas mais tarde elas acordavam e ficavam mais algumas horas deitas em estado entre sono e relaxamento até adormecer de novo. As horas de relaxamento acabaram revelando-se as mais interessantes para os cientistas do programa já que as pessoas não estavam adormecidas nem totalmente acordadas. A química do corpo flutuava entre os dois estados, bem como as ondas cerebrais.

O diretor da pesquisa disse que foi como encontrar um fóssil da mente humana, um estado de consciência que havia sido extinto. Em tempos pré-históricos este tempo de descanso, sem poder fazer nada por falta de luz, pode ter oferecido um canal de comunicação entre sonhos e a vida acordada com grandes recursos para mitos e fantasias. Isso pode também ser a resposta porque tantas histórias bíblicas são alimentadas por grandes sonhos. Mas assim que aprendemos a usar luz, começamos a cortar o número de horas que passamos na escuridão e eventualmente comprimimos nosso descanço em 8 horas sem nenhum espaço para o relaxamento antes, no meio e depois de dormir. Agora uma boa noite de sono é celebrada quando permanecemos adormecidos por 7 ou 8 horas e acordamos quando o alarme toca, com ou sem o sol nascendo. Danos colaterais de uma civilização completamente apaixonada e embriagada pela luz.”

Você sabe quanta coisa benéfica para nossa saúde mental e física acontece na escuridão?  A autora continua – “Vida nova começa na escuridão! Quer seja uma semente no chão, um bebê no útero ou como prega o cristianismo, Jesus na tumba, começam todas nas trevas.”

E não fica por aí. “Algumas noites são tão cheias de distrações mundanas que eu nem sei mais em que fase da lua estamos. Quando estou no carro à noite, estou olhando o trânsito. Quando caminho à noite, estou olhando pra calçada. Há poucas razões para olhar para cima à noite até porque o céu é sempre a mesma cor à noite quando se vive na cidade. A cúpula refletiva sobre a cidade iluminada sequestrou a luz que vinha na nossa direção, misturou ela com a artificial, pintou o céu de um tom metálico que admite a presença de pouquíssimos corpos astrais. Até quando a lua está cheia é difícil de fazer uma tomada dela inteira entre os prédios que se esticam pra cima.”

“Há algo muito promissor nos clicos da lua – agora você a vê, daqui a alguns dias você não a vê.” Nós também flutuamos entre luz e escuridão. Nossos níveis de felicidade e tristeza, alegria e mal humor variam de uma semana para outra, de um dia para outro. A estabilidade total é uma farsa total, ninguém consegue manter este ritmo. E ela conclui: “No fim das contas, a lua é um espelho da alma muito mais verdadeiro para os humanos do que o sol que se apresenta todos os dias com a mesma cara.” Se isso não soa como uma epifania para você, eu não tenho como explicar melhor.

Então quando você tiver oportunidade de ir para o interior, longe de todas as luzes das cidades, estique uma manta sobre o chão e admire o céu estrelado e as belezas que a escuridão tem para mostrar a quem tem olhos para ver. Acompanhe as fases da lua, assista o cair da noite e nascer da lua, apague as luzes e admire a escuridão. Sinta seu coração bater dentro do seu peito e ouça o som da sua circulação no silêncio escuro das trevas da noite que lhe quer envolver e restaurar seus neurônios. Há uma paz sem igual a ser colhida de uma atmosfera noturna acolhedora. Muitos de nós estamos precisando tratar nossos cérebros sobrecarregados de tarefas e informações com uma dose saudável de silêncio e contemplação no escuro.

13900159_1804771229755967_3113235287909498022_n

Durante este estudo sobre sono e escuridão encontrei um óculos que oferece proteção visual dos raios azuis que são responsáveis por manter-nos acordados. É uma opção para quem trabalha muitas horas olhando para uma tela de computador. Assim que a noite cai,eu os coloco, se estiver em frente a TV, computador, tablet ou celular. Posso sentir o alívio do filtro que protege meus olhinhos. Recomendo!

Apague as luzes, e veja!

 

 

 

 


Meu nome é Cristine e este blog é para você. Ele também representa um novo começo para mim.

Sou apaixonada por saúde, moro na Florida, USA e administro nossa empresa de exportação.
Comente

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *