Vivendo com Ácido Fítico – Parte IV 19/11/2013

Continuação da Parte III

Depois de aprender sobre Fitase e Ácido Fítico, e eu sei que estou sendo um tanto repetitiva, mas não se pode frisar o suficiente a gravidade deste perigo alimentar moderno que é tratado com tamanha irresponsabilidade pela indústria de alimentos processados, que distorce as informações para vender um produto prejudicial como sendo saudável como é o caso dos Cereais Integrais e de Fibra ( All Bran).

Sim, cereais processados fazem mal à saúde! O processo de altas temperaturas às quais os grãos são submetidos sob pressão que é chamado de extrusão mata o componente essencial para a digestão do grão. Seria como enviar você a uma expedição pelo deserto com um cantil de água SEM água. Ou enviar um soldado à guerra sem arma.

Por isso temos que investigar e duvidar de todos os comerciais de alimentos e fazer nosso dever de casa estudando sobre o assunto, já que só temos 1 corpo. Veja abaixo:


FITASE

 O processo de germinação ativa fitase, reduzindo assim o ácido fítico.

 Cereais feitos de   “all bran” ( fibra) e grãos integrais são a receita perfeita para problemas digestivos e deficiências minerais.

Fitase é a enzima que neutraliza o ácido fítico e libera o fósforo. Esta enzima co-existe em  alimentos vegetais que contêm ácido fítico.

Animais ruminantes, como vacas, ovelhas e cabras não têm problemas com ácido fítico porque a fitase é produzida pelos micro-organismos ruminais; animais monogástricos também produzem fitase, embora muito menos. Camundongos produzem trinta vezes mais fitase que os humanos, assim sendo são muito felizes comendo uma matéria-prima de  grão inteiro. Os dados dos experimentos sobre ácido fítico usando camundongos e outros roedores não pode ser aplicado para os seres humanos

De um modo geral, os seres humanos não produzem fitase o suficiente para consumir grandes quantidades de alimentos com  alto teor de fitato regularmente. No entanto, os lactobacilos probióticos e outras espécies da microflora endógena digestiva podem produzir fitase. Assim, os seres humanos que possuem uma boa flora intestinal terá mais facilidade com alimentos que contenham ácido fítico.O aumento da produção de fitase da microflora intestinal explica por que alguns voluntários pode se ajustar a uma dieta de  alto teor de fitato. O processo de germinação ativa a fitase, reduzindo assim o ácido fítico. O uso de grãos germinados irão reduzir a quantidade de ácido fítico para a alimentação dos animais, sem redução significativa de valores nutricionais.

Farinhas e sementes umedecidas ou germinadas em um meio ácido a temperaturas medias, como num processo de fermentação, também ativa a fitase e reduz ou elimina o ácido fítico.

Antes do advento da agricultura industrial, os agricultores normalmente embebiam grão triturado em água quente antes de colocá-lo para aves e porcos. Hoje em dia, os produtores de alimentos para animais adicionam fitase nas misturas de grãos para obter um melhor crescimento em animais. Fitases comerciais geralmente são produzidos usando tecnologia de DNA recombinante. Por exemplo, o gene da fitase bacteriana foi recentemente introduzido na levedura para a produção comercial.

Nem todos os grãos contêm fitase suficiente  para eliminar o fitato, mesmo quando devidamente preparado. Por exemplo, milho, painço, aveia e arroz integral não contém fitase suficiente  para eliminar todos o ácido fítico que contêm. Por outro lado, o trigo e o centeio contém altos níveis de fitase, trigo contém quatorze vezes mais fitase que arroz e centeio contém mais que o dobro de  fitase do que o trigo. Umedecer ou fermentar estes grãos, quando moídos na hora, em um ambiente aquecido, irá destruir todo ácido fítico. O alto nível de fitase no centeio explica porque este grão é o preferido para fermentação de pães.

A fitase é destruída pelo aquecimento por vapor de aproximadamente 80º C em dez minutos ou menos. Molhada em uma solução, a fitase é destruída a 55 a 65º C. Embora aquecer não deixa de ser uma extrusão, este processo destruirá totalmente a fitase – pense nos cereais de fibras como os Brans, muito alto em ácido fítico mas sem fitase alguma que foi destruída no processo de extrusão. Cereais feitos de   “all bran” ( fibra) e grãos integrais são a receita perfeita para problemas digestivos e deficiências minerais.

Veja aqui a Parte V


Meu nome é Cristine e este blog é para você. Ele também representa um novo começo para mim.

Sou apaixonada por saúde, moro na Florida, USA e administro nossa empresa de exportação.
Comente

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *