Multi Vitaminas – Parte I 11/11/2013

O solo do nosso planeta está ficando tão pobre, que mesmo que você se dedique bastante em ter uma dieta balanceada, orgânica e composta de alimentos densos em nutrientes preparados da maneira correta, temos que nos perguntar se as plantas e animais estão conseguindo retirar do solo os nutrientes necessários para se tornarem nutritivos quando os consumimos. Principalmente se a maioria dos alimentos que você consome está vindo do supermercado. Os alimentos de supermercados são produzidos em grandes quantidades, em fazendas que nunca descansam. Por isso comece a explorar as imediações do lugar onde você mora e busque produtores locais que produzem alimentos com composto orgânico, que aplicam o sistema de rodízio do uso da terra e que é claro, não use pesticidas. Você estará colaborando com a prosperidade da sua comunidade, com a saúde do planeta e a sua (estes 2 sempre andam de mãos dadas). 

Por estas e outras eu também uso suplementos vitamínicos. Aliás, minha salvação em 2012 foi a descoberta do magnésio. Eu fui diagnosticada com síndrome das pernas inquietas pelo Dr Atílio de Curitiba, apesar de eu não ter nenhum dos sintomas que formam o perfil desta síndrome.  Inicialmente busquei ajuda médica porque eu estava tendo apnéia central e as crises estavam se tornando por demais desconfortáveis. Quando questionei o diagnóstico e a medicação que ele me receitou, que também é usada para tratar  mal de Parkinson,  o Dr Atílio simplesmente sumiu e não respondeu mais meus emails ou telefonemas, em vez disso botou a secretária a responder meus emails tão vagos quanto estacionamento da Oktoberfest em Junho.  Bom, o Paul disse que deveríamos pesquisar tudo que podíamos sobre este problema e com a experiência que ele acumulou na década de 90 quando era dono de uma loja de produtos naturais e suplementos alimentares, aprendi muita coisa sobre vitaminas. O magnésio é um relaxante do sistema nervoso e passei a consumir uma colher do magnésio em pó “Calm” diluído em 1 copo de água. O Pó é mais rapidamente absorvido porque não precisa passar pelo processo digestivo total para ir para a circulação sanguínea. Também adicionei Potássio que tem propriedades benéficas ao sistema nervoso. Estes 2 sozinhos já me ajudaram a dormir melhor reduzindo as crises de apneia em pelo menos 70%. Exercícios, acordar com o sol e recolher-se cedo começaram a fazer parte da minha rotina diária bem como algumas práticas extras como yoga, relaxamento e uso de alimentos com propriedades calmantes. 

Em ambos os casos ( Magnésio e Potássio) estudamos os rótulos muito cuidadosamente e não foi surpresa que acabamos comprando o produto mais caro disponínvel. Ainda assim, é muito mais barato que o remédio receitado que me custaria algo em torno de R$380 por mês e que tem mais contra-indicação e efeitos colaterais do que benefícios! Eu hein!? 

Assim como eu não sabia nada sobre suplementos vitamínicos , muito menos que alguns delas podem ser prejudiciais a sua saúde ( céus, onde vamos parar!), eu espero que este artigo traga um pouco de luz sobre o assunto para você contemplar o que você consome quando decidir suplementar sua alimentação

Artigo traduzido da Revista Well Being Journal, Edição Março/Abril 2013, Vol 22 No 2.

FATORES ESSENCIAIS NA QUALIDADE DAS MULTIVITAMINAS

Por Jason Barker, N.D.

 …o velho ditado “você recebe pelo que você paga”, é especialmente verdadeiro no ramo de multivitaminas e suplementos.

…com um pouco de informação, você pode distinguir as diferenças entre baixa e boa qualidade nutricional de suplementos vitamínicos.

 

Minerais multivitamínicos podem ser uma das partes mais importantes do seu regime alimentar.

Um estudo de junho de 2002, sugere que quase todos os adultos americanos tem algum tipo de  deficiência de vitaminas, e que deveria ser complementado com multivitamínico para reforçar a  ingestão diária. E tendo certeza da necessidade de tomar multivitaminas, a qualidade das mesmas é uma preocupação.

Por isso eu digo a meus pacientes que ingerir multivitamínicos é uma forma de investimento de seguro de vida barato, mas apenas aquele que destina-se a preencher as faltas na sua dieta.(Vamos admitir que nenhum de nós se alimenta adequadamente).

No entanto, o velho ditado “você recebe pelo que você paga”, é especialmente verdadeiro no ramo de multivitaminas e suplementos. A regulamentação dos suplementos é negligenciada nos EU, e para criar um polivitamínico os laboratórios precisam apenas incluir alguns minerais e vitaminas básicos na sua formulação.

Como resultado, há uma diferença grande entre preços e qualidade dos polivitamínicos. E você pode estar certo de que se o preço do  produto for muito baixo, assim também será a qualidade dele. Faça a comparação, pegue vários polivitamínicos disponíveis em farmácias e casa especializadas, por exemplo. A grande maioria, se não todos, são excessivamente processados e contém baixa qualidade de ingredientes, aditivos desnecessários , corantes e conservantes.

Sabendo disto, é difícil argumentar que a saúde não vale o ligeiro aumento de custo de uma qualidade de suplemento nutricional. Fazemos um mau negócio a nós mesmos quando renunciamos um suplemento polivitamínico de qualidade por um mais barato e cheio de aditivos desnecessários e ingredientes de má qualidade.

Felizmente, com um pouco de informação, você pode distinguir as diferenças entre baixa e boa qualidade nutricional de suplementos vitamínicos.

VITAMINAS CARAS

Antes de discutirmos o que seu polivitamínico deveria conter, algumas razões comuns que fazem dos suplementos baratos um pouquinho mais que meramente ‘urina cara’.

BINDERS

Binders são ingredientes adicionados que atuam como cola, mantendo as vitaminas unidas. É fato, este produto age tão bem que muitas vitaminas feitas com este produto químico, nem se quebram no seu trato gastrointestinal e são eliminados como ingeridos. Entre as colas mais comuns estão: Croscarmellose, Cellulose e Shelac.

 

ADITIVOS

Aditivos são usados para preencher espaços ou realçar a aparência das vitaminas. Muitas vezes, estes são ingredientes alimentícios que também são agentes alergênicos. Dentre eles estão açúcar, aspartame (agente adoçante sintético), milho, soja e lactose (açúcar do leite).

CORANTES

Corantes são adicionados apenas para deixar as vitaminas mais bonitas, o que é ridículo, pois você não está comprando vitaminas por causa da sua aparência. Infelizmente, os corantes artificiais podem prejudicar nosso DNA e órgãos, e muitas vezes relacionados a distúrbios de comportamento. Alguns dos corantes mais usados que devem chamar sua atenção são: FD&C vermelho 40 Aluminum Lake, FD&V yellow 6 Lake e FD&C yellow 5 Lake (tartrazine).

CONSERVANTES

Conservantes  são algo que você não precisa, e pior, podem ser muito prejudiciais para sua saúde. Por exemplo, alguns dos conservantes mais comuns encontrados nos suplementos, particularmente óleo de palmeira hidrogenada e benzoato de sódio, podem ser gorduras ácidas trans ou ainda ter efeitos tóxicos. Nenhum dos componentes acima, incluídos no seu polivitamínico, vão aumentar sua saúde, pelo contrário, podem prejudicá-la. Procure polivitamínicos ou suplementos livres destes componentes.

…continuação da Parte II

Traduzido do artigo da revista “Well Being Journal” edição Março/Abril 2013.

2 Comentários

Vivendo com Ácido Fítico – Parte III 08/11/2013

Trigo Integral, Continuação da Parte II 

Minha mãe recentemente foi diagnosticada  com desnutrição em um nível considerável. Ficamos todos muito surpresos pois sempre achávamos que comíamos bem. Uma conhecida minha acabou de ser diagnosticada com anemia, apesar de dizer que se alimenta muito bem. Cada vez mais pessoas estão descobrindo e se surpreendendo com este tipo de problema. Não posso deixar de considerar que a dieta rica em ácido fítico tenha tomado sua parte na causa destes diagnósticos. Veja abaixo:


474854_371598079549493_193838570658779_1073665_1548223995_o

EFEITOS PREJUDICIAIS

Dietas com alto teor de fitato resultam em deficiências minerais. Em populações onde os cereais constituem uma importante fonte de calorias, o raquitismo e a osteoporose são comuns. Leia Mais

1 Comentário

SOBRE O COLESTEROL 02/11/2013

“A gordura que se come tem um impacto muito pequeno nos níveis de colesterol no seu corpo. Isto é um fato, não minha opinião. Qualquer um que disser o contrário é, na melhor das hipóteses, ignorante sobre o assunto. Na pior das hipóteses, eles são charlatães deliberados. Há  vários anos as Linhas de Orientação Canadense removeu esta limitação do colesterol alimentar. O resto do mundo, especialmente os Estados Unidos, precisa se orientar.”  (Peter Attia, doutor médico da Eating Academy.com, “A enganação do Colesterol” Parte 1)

Um dos maiores choques que tive ao entrar no mundo dos alimentos reais e saúde de verdade foi aprender que Colesterol não só é bom, mas é vital para nossa saúde e que a droga precrita para regular colesterol é muito prejudicial aos neurônio e deve ser usada com muita precaução em casos muito graves, ao contrário do que se vê hoje onde em quase cada casa tem alguém tomando estatina. É quase um modismo! Leia Mais

3 Comentários

Vivendo com Ácido Fítico – Part II 28/10/2013

Continuando a parte I , veja aqui como comer pão integral comercial pode contribuir para osteoporose! Chocante! Para se livrar do ácido fítico o seu organismo vai buscar nas reservas ósseas o fósforo, magnésio e cálcio. Esta foi uma das maiores, senão a maior revelação de tudo o que aprendi até hoje sobre nutrição. E não chegou até mim por nenhum médico ou nutricionista, mas pela minha amiguinha, de na época 14 anos que descobriu este artigo.

Espero que aproveitem:


FITATOS NOS ALIMENTOS

…você perde cálcio e não absorve fósforo.

Lembra da mania de pão de farelo de aveia? … é uma receita para severa perda óssea e problemas intestinais devido ao elevado conteúdo de ácido fítico.pao-intregal-acido-fitico

Ácido fítico está presente em grãos, sementes, nozes e cereais – especialmente no farelo e casca externa; fitatos também são encontrados em tubérculos e vestígios podem ocorrer em certas frutas e vegetais  como feijões verdes e bagas.

Até 80% do fósforo – um mineral vital para ossos e saúde – presente em grãos são presos numa fórmula como fitatos inválidos. Quando uma dieta incluindo mesmo pequenas quantidades de fitato é consumida, o corpo irá disponibilizar cálcio para agregar ao ácido fítico e formar complexos insolúveis de fitato. O resultado é que você perde cálcio e não absorve fósforo. Além disso, a pesquisa sugere que vamos absorver aproximadamente 20% mais de zinco e 60% mais de magnésio de nossos alimentos na ausência do fitato. A quantidade de fitato em cereais, nozes, legumes e sementes  tem uma grande variação, os níveis que as pesquisas encontram quando analisam um alimento específico provavelmente vai depender das condições de crescimento, técnicas de colheita, métodos de testes e processamento e ainda a idade do alimento testado.

O ácido fítico estará em maior nível em alimentos cultivados com o uso de modernos fertilizantes com alta taxa de fosfatados do que os cultivados com compostos natural.

Sementes e farelo são a maior fonte de fitatos, contendo duas a cinco vezes mais fitato do que algumas variedades de soja, as quais sabemos serem muito indigestas sem passarem por longo período de fermentação. Lembra da mania de pão de farelo de aveia? A advertência para comer farelo, ou alimentos com alto teor de fibras contendo diferentes tipos de farelo, é uma receita para severa perda óssea e problemas intestinais devido ao elevado conteúdo de ácido fítico. Matérias-primas não fermentadas como sementes de cacau e cacau em pó normal são  extremamente elevados em fitatos. Chocolates processados também podem conter os fitatos. Chocolate branco ou manteiga de cacau provavelmente não contêm fitatos. Mais evidências são necessárias como o teor de fitato em chocolates preparados e chocolate branco. Sementes de café também contêm ácido fítico.

Veja a Parte III

5 Comentários