Mudando nossa percepção sobre o câncer – Parte 1 – Edward Griffin e o Estabelecimento 27/04/2018

This post has already been read 864 times!

A introdução da série está disponível clicando aqui.

Seja benvindo! Você chegou até aqui porque busca se educar sobre câncer. Minha motivação para disseminar educação a respeito do assunto que envolve todos os aspectos desta doença e de tantas outras enfermidades que nos limitam é a força que me projeta para frente. Alguém me perguntou por que eu gosto tanto deste assunto e eu não soube responder objetivamente. Eu realmente não sei. Desconfio que seja a busca pela verdade, a busca por sintonia real com nossa fonte de tremendo poder pessoal, a busca por soluções.

Para entendermos onde estamos hoje em relação ao câncer, temos que rebobinar a fita e ver onde começamos.

Primeiro temos que entender como funciona a engrenagem que move a indústria da medicina para podermos entender porque a sua saúde é, em última análise, sua responsabilidade pessoal e não responsabilidade do “instituto nacional da saúde” e do governo.

Não podemos negar o mérito do brilhante médico que alivia sua dor e lhe permite recuperação rápida e confortável de males que em outras eras nos eliminariam do mapa, como uma simples infecção que toma proporções fora de controle e pode nos destruir. A maioria do médicos faz parte do time de heróis e com certeza cada um de nós lembra do rosto daquele médico que no momento de angústia lhe ajudou a superar alguma dor intolerável.

Também não podemos deixar de notar que se não houvessem doentes, a profissão médica seria um ramo bem pequeno. Exceto por traumatologia, porque acidentes nem sempre estão sob seu controle. Mas fora isso, numa comunidade predominantemente saudável, talvez consultórios médicos ocupariam e mesma proporção do mercado profissional ocupado pelos construtores de aquários. Você não conhece muitos, não é mesmo?  Farmácias seguiriam o mesmo nicho de mercado. Acredito que você não é ingênuo o suficiente para ver que não há real interesse por parte da indústria médico farmacêutica em eliminar todas as doenças, certo? Nem deveria, eles estariam se prejudicando com isso. Somos nós que no fim das contas alimentamos os cofres deles e atualmente quase toda família tem pelo menos uma pessoa consumindo remédio para uma condição “crônica”.

Quem melhor explica o nascimento deste mecanismo é Edward Griffin.

g-edward-griffin

Este modelo de negócio surgiu de um casamento entre Alemanha (Farben) e Estados Unidos (Rockefeller) e rapidamente dominou o mundo.

Tive o privilégio de ouvir a palestra do Sr Griffin em Orlando em Outubro de 2017. Como você vê o vídeo de menos de 10 minutos que compartilharei abaixo não é muito recente. Ele continua palestrando e educando as pessoas sobre o assunto. Missão que encorporou para sua vida, como sua responsabilidade máxima.  Um assunto muito importante que passa totalmente despercebido mas que toca a vida de cada um de nós. Quem faz as decições dentro do consultório médico sobre a sua saúde? Quem decide qual droga vai estar listada na sua prescrição médica? O seu médico? você? ou há outra instituição que decide isso? Quem determina o currículo escolar que o seu médico estudou? Nunca paramos para pensar nestas questões, não é?  Existem tantas coisas acontecendo no mundo por trás de cortinas cerradas que nem desconfiamos e que tocam nossa vida íntima profundamente. A partir do momento que sua vida for tocada por uma situação de vida ou morte você provavelmente vai querer saber quem está operando por trás da cortina. Pois esta é a missão do cidadão que você vai ouvir abaixo. Este é apenas um pedacinho bem pequenininho do trabalho dele. Eu encontrei este vídeo público no youtube e já está com legenda em português,(que conveniente!) bom proveito!

 

A palestra que eu assisti foi dividida em 2 tópicos: a ciência e a política do câncer. E sabendo o que já se sabe hoje em dia sobre tratamentos alternativos para reverter câncer a pergunta é: Por que o meu médico não sabe disso? E a resposta, é claro, é devido à política que controla os tratamentos de câncer.

John Richardson foi o mentor de Edward Griffin, um grande líder e um homem de princípios honráveis. Ele manteve-se forte e firme diante do estabelecimento médico enquanto tantos outros se dobravam sobre a pressão exercida em relação à conduta política.

A Palestra dele pode ser resumida em apenas uma frase:

O controle do câncer é conhecido e ele reside na natureza mas não está disponível para o público porque não pode ser patenteado e por isso não é comercialmente atraente para a indústria farmacêutica.

Existem 2 visões do câncer: a visão ortodoxa e a realista. Na ortodoxa, o câncer é o tumor. Nesta visão o tumor tem que ser removido, radiado ou envenenado e quando tudo isso é feito o médico emerge com a notícia: “Acredito que nos livramos dele”. Mas como muitos de vocês já sabem, em muitos casos, o câncer volta. Por que? Porque na visão realista o tumor não é câncer e sim um sintoma do câncer, um processo de cura e os médicos realistas primeiro propõe a pergunta: “Por que este tumor apareceu pra começo de conversa?”

E se continuarmos a estudar e investigar sobre esta ciência chegamos à conclusão que câncer é natural, é algo que todos temos em uma forma ou outra durante toda nossa vida. Aliás, se você quiser se aprofundar mesmo, estude sobre trofoblasto como um modelo para câncer. Uma idéia considerada absurda até alguns anos atrás mas que agora alguns médicos cientistas já estão concordando que o processo embriônico é câncer, seguem o mesmo modelo trofoblástico. Mas não vamos nos aprofundar nisso.

Se câncer é um processo de cura, porque em algumas pessoas este processo sai fora de controle? Eu tenho uma idéia e acredito ser a ausência de algo que deveria estar presente no corpo. Sabemos que a dieta é um fator importante e atualmente estamos ainda descobrindo certos componentes de alimentos que nem sabíamos que existiam que são tão tremendamente importantes para construir nosso sistema imunológico e suprir as necessidade de funcionamento normal do corpo. Nós estamos ainda tão longe de saber tudo sobre este assunto! Isso me leva a acreditar que câncer é uma doença de deficiência. Por isso vemos tantos casos de pessoas que conseguem reverter câncer depois de adotar uma dieta saudável que introduz alimentos antes não consumidos.

Nos meus estudos eu tenho investigado esta substância chamada “Laetrile” ou vitamina B17. O nome científico é amygdalin ou nitrilosides, se você quiser explorar a química desta molécula. Ela é muito interessante, se encontra na natureza, em cerca de 1400 plantas comestíveis, em sua maioria coisas que não gostaríamos de comer porque elas são amargas. Quase todas as gramas têm amygdalin, por isso animais doentes comem isso! Já viram um cachorro ou gato comendo grama? É instintivo. Amygdalin também é encontrada nas sementes de damascos e de maçãs, por isso elas são amargas.

Em resumo, sobre o aspecto científico do câncer, é interessante minimizar danos ao nosso organismo porque não queremos incitar o processo de cura que é o que chamamos de câncer. Cuidados podem incluir:

  •  Minimizar a exposição às ondas eletromagnéticas EMF ( eletro-magnetic-fieds proveninetes de celulares, wifi, etc.;
  • evitar tóxicos;
  • moderar o consumo de carne e eu vou fazer um pequeno parênteses aqui porque é muito interessante. Sabemos que carne precisa de enzimas produzidas pelo pâncreas para ser digerida e estas enzimas dão conta do recado muito bem. O problema acontece quando todas as enzimas que nosso pâncreas produz estão sendo dedicadas apenas para digerir carne. Sabemos que câncer se encapula com uma proteína carregada de uma carga elétrica negativa que é dissolvida pela mesma enzima que o pâncreas produz e a célula cancerosa se disfarça do sistema imunológico com esta carapuça. Nossas células imunológica também têm esta carga elétrica negativa e como sabemos que 2 polaridades iguais se repelem, e na falta da enzima, o câncer passa despercebido ao nosso sistema de defesa. Se temos suficiente enzima circulando no nosso sangue, quando as enzimas encontram uma célula cancerosa elas corrompem a capa protetora do câncer, o sistema imunológico ataca ela, a célula morre e assim continuamos vivendo uma vida saudável. Isso pode estar acontecendo dentro de você enquanto você lê este artigo. Já pensou, que coisa maravilhosa?
  •  reduzir stress, raiva, evitar pessoas tóxicas;
  • melhorar o seu sono e
  • passar a consumir os alimentos que contribuem para a defesa e nutrição como antioxidantes, minerais, vitaminas, proteínas de qualidade, gorduras saudáveis, incluindo amygdalin.

A parte da ciência é realmente simples, o que é complicado é a parte da política que envolve o câncer. Que voltando atrás, se iniciou com a parceria entre os Rockefellers e o primeiro cartel mundial de drogas farmacêuticas a alemã Farben. A Farben concordou em não entrar no campo de armamentos, munição e processamento dos derivados de petróleo e a Rockefeller concordou em ficar de fora do ramo farmacêutico, enquanto as 2 se apoiavam, protegiam um ao outro e lavavam as mãos uma da outra.  Este é o maior cartel que já existiu e que ainda existe no mundo. Os Rockefeller trabalharam sempre nos bastidores, eles não querem o nome na fachada da frente e têm uma influência totalitária no mercado farmacêutico americano, resultado da sua parceria com a parceira alemã. O objetivo deste consórcio era ter controle total da indústria médica. Uma idéia que há muitos anos atrás era difícil de se fazer crer, que alguém tivesse interesse em controlar a indústria médica, mas hoje já se se pode averiguar isso por documentação e contratos. Se for for cético, o que eu espero que você seja, porque eu certamente duvidei desta possibilidade e esta é uma atitude saudável, você pode estudar a respeito. Eu tenho todas as fontes documentadas nos meus livros se você quiser mergulhar nesta pesquisa, você vai ficar exausto com as notas de rodapé e isso tudo vem das fontes deles mesmo e não da oposição. Importante mencionar isso!

A maneira como eles alcançaram tamanho sucesso foi através das fundações isentas de impostos. A tática foi pioneira do Rockefeller que se associou ao Carnegie e fundações institucionais que são isentas de impostos que também tinham tremendo interesse na indústria farmacêutica e a estratégia era simplesmente esta: “Para criar uma imagem pública positiva através da aparência filantrópica, para preservar suas fortunas do imposto de renda e de tributação sobre heranças, as fortunas foram depositadas em fundações que gozam de isenção tributária. Instituições estas que eles controlam como se fossem os presidentes. E financiar projetos comerciais lucrativos sob a fachada de filantropia. Uma estratégia muito brilhante, se pensar bem. E eles alcançaram todos os seus objetivos.

O mestre por detrás desta idéia foi um cara chamado Fred Gates. Um sujeito difícil de encontrar nos livros de história, mas ele está lá, por algum canto. Ele trabalha para a companhia Pillsburry como relações públicas e foi ele que inventou a Pillsburry Formula que não é a fórmula para fazer pão. (Pillsburry é fabricante de pães e doces de abrangência nacional).  Ele foi muito brilante e inclusive ele foi convocado para dar uma averiguada em quem era o Hitler quando ele comeceu a emergir na Alemanha. O objetivo era verificar se Adolf Hiltler poderia ser útil para eles como uma figura política. Enfim, só para vc poder medir o potencial deste cara que surgiu do nada. E perante a Pillsburry ele tinha o objetivo de mudar a imagem do dono que era visto como um capitalista inescrupuloso, como foi explicado no vídeo. Quando Rockefeller viu isso, ele imediatamente contratou Fred Gates.

Os Rockefellers em associação com Carnegie começaram a campanha para arrecadar dinheiro para melhorar as escolas médicas na América por volta de 1910. Na mesma época que o pessoal fazia a fundação para o “Federal Reserve System”. Que coincidência! hmm? As mesmas pessoas ativas em vários empreendimentos pelo país todo.  Naquela época haviam poucos requerimentos para uma pessoa ser médico, muito pouco era exigido e quase qualquer pessoa podia comprar um diploma de médico por 20 a 50 dólares que eram enviados a uma instituição de educação. Assim, havia muitas pessoas que não sabiam o que estavam fazendo, é claro. Mas o que não se ouviu falar era que havia muita gente que sabia o que estava fazendo com este diploma e eles usavam os remédios tradicionais passados de geração em geração e um dom para curar doentes, uma paixão por salvar vidas. Mas a atenção voltou-se para os que se faziam passar por médicos sem saber coisa alguma de saúde. Eles cobravam das pessoas e não faziam nada válido.

O congresso queria resolver este sistema mas não conseguia momentum nem capital para investir neste projeto de reforma educativa. Quem entrou na arena para resolver o problema? Rockefellers e Carnegie! Eles contrataram Abrahan Fletcher que visitou diversas escolas médicas pelo país todo e ele voltou com um relatório mostrando que a educação médica nos E.U. é terrível. Rockefeller ofereceram doações gigantes para começar a reforma tão necessária. Estas doações foram para as escolas existentes daquela época que fossem cooperativas com a agenda proposta. A proposta era controle sobre o currículo escolar. Preciso dizer algo mais? 

Em troca de um investimento grande, eles implantavam seus interesses políticos na escola, como foi explicado no vídeo. No fim desta reforma, os médicos se graduam como representante de vendas da indústria farmacêutica.

Como isso afeta câncer? Uma boa maneira de explicar é contar algo que aconteceu entre 1972 e 1977 em uma das mais prestigiosas escolas médicas do mundo: Sloan Kettering Cancer Center. Muitos médicos já estava usando laetrile naquela época em vários países pelo mundo e pessoas estavam se recuperando bem de câncer. Embora as instituições médicas não faziam relatatórios sobre estas estatísticas, as clínicas que usavam laetrile mantinham arquivos sobre a recuperação dos pacientes. Estes pacientes em sua grande maioria são os desenganados, os que não tiveram sucesso em nenhum tratamento convencional e não tinham mais nada a perder quando resolveram buscar alternativas. Importante manter isso em mente para saber que nem todos sobreviveram, porque eles já haviam sido radiados, intoxicados com quimio e tiveram cirurgia que pode espalhar o câncer. Deste grupo, 15 % sobreviveram. O que foi publicado? Por que alguém iria buscar uma terapia com resultado positivo tão baixa? Bom, se eles não tivessm buscado alternativa, nenhum deles teria sobrevivido. Estes são pacientes desenganados. Diante desta circunstância, 15% é um número magnífico!

As coisas estão mudando e atualmente muitas pessoas estão optando por tratamentos alternativos como sua primeira opção. As estatísticas deste grupo? 85% retornam à saúde e 15% não sobrevivem.

O estabelecimento médico começou a se preocupar com estas estatísticas daquela época e resolveram investigar o que estava acontecendo. Eles decidiram que uma instituição renomada testaria esta substância para provar eficiência. Sloan Kettering recomendou o melhor cientista que eles tinham disponíveis para fazer estes testes com laetrile, um japonês chamado Dr. Kanematsu Segiura. Ele fez os experimentos em ratos e o relatório inicial dele dizia:

  • laetrille melhorou a saúde em geral do rato
  • aparentemente alivia dor
  • inibe o crescimento de turmores
  • paralisa o alastramento dos tumores
  • e age como preventivo ao câncer

E ele conclui o relatório dizendo que nunca conseguiu este tipo de resultados com quimioterapia.

Isso é apenas o começo!

Para entender o que se segue, JD Rockefeller Senior e seu filho, o Junior começaram a doar dinheiro para Sloan Kettering em 1927 e na década de 30 eles doaram as terras onde hoje existe o Instituto. Durante estes testes havia 3 Rockefellers no quadro da diretoria da Sloan Kettering, James, Laurence e William e o papel deles era garantir a Eficiência em Filantropia. Os resultados do teste não agradou o quadro dos diretores e não houve interesse em publicar o relatório porque esta é uma substância que não pode ser patenteada. Não é possível ter lucro em algo que qualquer pessoa pode produzir.

Em 1974 um membro do congresso John Kelsey usou o “Freedom of Information Act” e acessou a minuta registrada sobre este relatório que dizia o seguinte: “Sloan Kettering não tem entusiasmo para estudar amygdalin mas gostaria de estudar drogas que liberam cianeto.”

Se você entendo o que isso signifca, então você entende tudo o que você precisa saber sobre a política do câncer.

Por isso, senhoras e senhores, nunca haverá nenhum teste patrocinado pelo FDA para provar que laetrile, amydalin é efetiva para o tratamento de câncer. Não só laetrile, mas qualquer coisa que vem da natureza. Estes compostos naturais nunca serão aprovados como recursos médicos e ainda por cima são rotulados com charlatanismo.

Sabe o que aconteceu com o cientista japonês? Ele foi afastado do cargo principal e considerado incompetente e o teste foi dado para Dr. Fran Smith que confirmou os resultados de Segiura mas eles nunca foram publicados e Smith foi ordenado a se calar. Depois disso o testo foi passado para Dr. Daniel Martin no Centro Médico Católico. Eles tiraram estes testes do Instituto Sloan Kettering porque eles não podiam confiar em seus próprios cientista! (leia-se com ironia), mas os testes também sairam favoráveis para amygdalin e Sloan Kettering encerrou os testes no meio do projeto com uma desculpa “interessante”. Eles alegaram que a natureza da confidencialidade dos testes havia sido comprometida, violada e isso aconteceu quando um dia o Dr Segiura entrou no laboratório e ele olhou para os ratos que estavam sendo submetidos ao teste e mesmo sem gaiolas rotuladas ele identificou imediatamente os ratos que estavam recebendo laetrile porque eles tinham aparência saudável e estavam ativos. Vocês acreditam que eles usaram isso como bode espiatório para encerrar o terceiro teste?

Uma quarta sessão de testes, sob controle novamente do Dr Martin foi conduzida e finalmente ele reportou o resultado como sendo negativo. Amygdalin, ou laetrile falhou como droga terapêutica no tratamento de câncer. Os detalhes destes testes mostram um experimento totalmente mal feito onde até a qualidade do laetrile usado era péssima, a quantidade foi inadequada, enfim, mexeram tanto com as variantes até conseguir provar por a mais b que a substância não funciona. Além disso eles reportaram que 40% dos ratos submetidos ao placebo durante o teste melhoraram do câncer. O que isso significa? Que água com sal também ajuda a melhorar a saúde de um organismo doente! E ninguém questionou isso! Eles simplesmente deixaram isso rolar sem nenhuma observação a por quê os ratos placebo melhoraram. E assim foi gerado o relatório que Sloan Kettering publicou para o mundo dizendo que laetrille não funciona.

Dr Louis Thomas, presidente da Sloan Kettering na época fez uma conferência para a imprensa e esta foi a sua declaração: “Não existe uma partícula de evidência científica que sugira que laetrile possua alguma propriedade anti-câncer.” Este foi o pronunciamento oficial. Os repórteres desta conferência viram Dr Segiura no fundo da sala. Ele não foi convidado a subir no tablado de anúncio. Um destes repórters chamou: “Dr Segiura! um dos seus estudos anteriores o Sr anunciou que laetrille era altamente eficiente para tratamento de câncer. O Sr endossa e confirma esta afirmação?” Segiura disse: “Eu endosso e confirmo.” ( aplausos!).

Abaixo eu vou deixar mais um curto vídeo sobre o esquema criado ao redor dos testes com Laetrile.

Se você  conhece alguém que possa se beneficiar destas informações, por favor compartilhe.

E se você ainda não cadastrou seu email na nossa página inicial para receber os próximos artigos direto na sua caixa de emails, agora é a hora!

Conte-me o que achou deste material no campo de comentário abaixo. Eu gosto muito de ler o que vocês têm a dizer e eu responderei a todos os comentários. Saúde a todos!

 


Meu nome é Cristine e este blog é para você. Ele também representa um novo começo para mim.

Sou apaixonada por saúde, moro na Florida, USA e administro nossa empresa de exportação.
2 Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *