DIETA CETOGÊNICA 19/10/2013

DIETA CETOGÊNICA – A chave para uma saúde excelente (Ellen Davis)

Eu quis traduzir e publicar este artigo porque em primeiro lugar eu nem sabia que existia esta tal dieta, segundo porque as pessoas tem usado este sistema de alimentação como tratamento há muito tempo para controlar disfunções metabólicas e terceiro porque minha irmã sofre de hipoglicemia e isso me despertou a curiosidade. Curioso foi, que acabei descobrindo que muitas pessoas que eu conheço sofrem de disfunções metabólicas glicêmicas mas eu não sabia. Parece um assunto desinteressante ou vergonhoso pois nao é comentado apesar de ser tão comum e sério. Você pode ter e nem saber! Entao se você ou alguém que você conhece sofre de algum problema desta natureza, leia, aprenda, compartilhe. Disfunções metabólicas são graves, limitam e encurtam a vida das pessoas e estas pessoas podem estar ao seu lado e você nem sabe. Bom proveito! Notem que a linguagem é bem científica e pode a princípio parecer complexa, mas esta é uma boa oportunidade para você exercitar aquele banco de dados arquivado durante as aulas de biologia.  : ) 

Como pode uma simples dieta ter tanto poder? O segredo está no efeito que a alimentação cetogênica tem sobre o  açúcar no sangue, a insulina, e em última análise, o processo da energia celular.

O que faz a Dieta Cetogência ser tão eficaz?

“Dieta cetogênica é aquela em que as gorduras fornecem calorias para o corpo. Carboidratos (açúcares e amidos) são severamente limitados, e a ingestão de proteína é moderada. O termo cetogênica refere-se ao fato de que, quando o corpo metaboliza gordura como combustível, os corpos cetônicos são criados através da cetogênese. Os corpos cetônicos são fragmentos de ácidos graxos criados quando seu fígado e células do rim metabolizam gorduras. Suas células podem usar cetonas como combustível, e se a queima de gordura é aumentada, resulta em cetose,  que é um nível elevado de cetonas no sangue.

Dietas cetogênicas são poderosas, falando metabolicamente.

Mudar para maior ingestão de gordura e menor ingestão de carboidratos na dieta cetogênica pode eliminar a azia, melhorar o risco de ataque cardíaco, reverter a hipertensão, diminuir o teor de açúcar no sangue, e está relacionado com a síndrome de dislipidemia, que é a presença de níveis elevados ou anormais de lipídios e/ou lipoproteínas no sangue.

Além disso, outros estudos demonstraram que os efeitos metabólicos de comer mais gorduras e menos carboidratos pode aliviar muitos problemas graves de saúde. Médicos pesquisadores estão usando a dieta cetogênica para reduzir os tremores da doença de Parkinson e ajudar a pacientes com a doença de Alzheimer a recuperar a memória e a função pensamento, auxiliar vários tipos de câncer em remissão, dar melhor controle sobre o açúcar no sangue de diabéticos e melhorar o tratamento da epilepsia.

Como pode uma simples dieta ter tanto poder? O segredo está no efeito que a alimentação cetogênica tem sobre o  açúcar no sangue, a insulina, e em última análise, o processo da energia celular.

O que faz a Dieta Cetogência ser tão eficaz?

A eficácia da dieta cetogênica inicia-se com os efeitos metabólicos da cetose e da influência que tem sobre os trilhões de células do nosso corpo. A maioria das nossas células contêm mitocôndrias, que atuam como reatores de energia que vem da alimentação. Estas pequenas organelas são responsáveis ​​pela produção de energia celular, e quando elas estão saudáveis e funcionando de forma eficiente, aumenta o bem-estar. Na verdade, a saúde mitocondrial é um importante fator da patologia da diabetes e da obesidade, da função cerebral e do envelhecimento. Disfunções mitocondriais resultam em doenças, enquanto que mitocôndrias saudáveis produzem um corpo saudável.

Inflamação e o efeito do excesso de carboidratos e açúcares

Respiração celular aeróbica é um processo metabólico intenso em que as mitocôndrias transformam os nutrientes dos alimentos em uma energia celular chamado ATP (trifosfato de adenosina). Como em qualquer processo de energia aeróbica no corpo do ser humano, o oxigênio é envolvido e isso aumenta a probabilidade de estresse oxidativo. O estresse oxidativo é o que causa a ferrugem ao metal e  óleos de cozinha ficam rançosos quando expostos ao ar.

No corpo, o estresse oxidativo pode criar moléculas chamadas de espécies reativas a oxigênio (do inglês reactive oxygen species,ou ROS). Essas moléculas, comumente chamadas de radicais livres, são quimicamente reativas e podem danificar estruturas celulares internas. Pequenas quantidades de ROS são criadas como parte da respiração celular normal e nossas células foram equipadas com várias moléculas antioxidantes para desarmá-las. Quanto menos, melhor.

Mas, se houver alguma inflamação, quantidades excessivas de ROS são criadas e sobrecarregam as defesas da célula, provocando danos e, eventualmente acelerando a morte celular. É por isso que inflamação está associada com muitos tipos de doenças.

Aqui é onde as nossas escolhas alimentares tornam-se muito importante. Comer alimentos que são ricos em carboidratos conduz a um aumento de ROS pois estes alimentos aumentam a quantidade de glicose e de insulina na corrente sanguínea.

Este é o principal problema com as dietas ricas em carboidratos. Enquanto a glicose é um importante combustível para o corpo, muito do que circula na corrente sanguínea pode prejudicar o corpo.

Quanto é demais? Tipicamente, um indivíduo saudável, terá menos do que um colher de chá de açúcar dissolvido na corrente sanguínea. Compare isso com um refrigerante comum, que contém cerca de dez colheres de açúcar, ou um pãozinho, que se decompõe em cerca de dezesseis colheres de chá de açúcar no sangue. Este alto teor de carboidratos fornecem muito mais glicose do que o corpo humano pode lidar eficientemente. A glicose no sangue é basicamente açúcar líquido, e se você já derramou suco de fruta ou xarope em suas mãos, você sabe como é pegajoso. No organismo, isso é chamado de glicação. A glicação é um processo no qual o excesso de açúcar no sangue se adere a proteínas e causa danos aos tecidos do corpo. Estas proteínas alteradas param de funcionar corretamente, e isso resulta em uma cadeia de eventos que aumenta a inflamação e cria substâncias chamadas de produtos finas de glicação avançada (do inglês advanced glycation end-products AGEs). Produtos finais de glicação avançada interferem com a função celular, e estão ligados à progressão de muitos processos de doenças, incluindo a doença de Alzheimer, doenças cardiovasculares, acidente vascular cerebral, e autismo.

Comer uma dieta constante de alimentos que aumentam o nível de açúcar no sangue aumenta o nível  de glicação e causa danos e inflamação, por causa da extensão dos danos a glicação está diretamente ligada a concentrações de glicose e de insulina no sangue. Quanto maior a concentração de açúcar no sangue, mais graves os danos.

O Dr.Ron Rosedale, escreve sobre os danos da  glicação que uma dieta com alto teor de carboidratos e excesso de açúcar no sangue pode fazer. Ele resume isso em um comentário:

‘Saúde e vida longa é determinada pela proporção de gordura em relação ao açúcar que as pessoas queimam durante a sua vida. Quanto mais gordura se queima como combustível, mais saudável a pessoa vai ser, e é provável que vá viver por muito tempo. Quanto mais açúcar uma pessoa queimar como combustível, mais suscetível à doença e menor a expectativa de vida de uma pessoa.’

Em contraste com as ações inflamatórias da glicose e de glicação, a presença de cetonas derivadas de gorduras na mitocôndria realmente inibe a produção de ROS, e fornece uma espécie de defesa para os estragos da respiração celular. Por causa do caminho metabólico que tomam nas mitocôndrias, as cetonas aumentam a eficiência mitocondrial e reduzem o estresse oxidativo. Em outras palavras, as cetonas promovem a saúde mitocondrial.

E aqui está outro benefício de cetose: quebrar a gordura para o combustível também fornece uma maior quantidade de ATP. Quando mitocôndrias usam ácidos graxos para gerar energia, podem criar mais de três vezes a quantidade de ATP que a utilização da glicose. Portanto, não é apenas a produção de ROS reduzida mas, mais energia celular é produzida. Pessoas que comem dieta rica em gordura e pobre em carboidratos têm muito mais energia, e se mantém constante ao longo do dia.

Como você pode ver, usando carboidratos para o corpo como combustível não é eficiente.

A presença de elevadas quantidades de glicose aumenta a glicação e com isso aumenta o risco de inflamação, stress oxidativo, os danos do ROS, e gera menos energia celular para o corpo usar.

Dado que o excesso de glicose pode ser tóxico, e cetonas são tão benéficas, faz sentido considerar a ideia de que a cetose é o estado nutricional preferido do corpo humano.

Músculos utilizam ácidos graxos constantemente, e a pesquisa mostrou que o coração e cérebro utilizam cetonas como uma fonte de combustível em maior medida quando a ingestão de carboidratos é diminuída.

Quando sua dieta é mais elevada em gordura e baixa em carboidratos, todos os sistemas do corpo trabalham como eles foram projetados e a inflamação é reduzida. É por isso que uma dieta cetogênica tem um efeito positivo sobre a saúde.

Isto não quer dizer que todos os alimentos contendo carboidratos devem ser evitados. Certas células do corpo só podem usar a glicose como combustível, por isso devemos ter alguma glicose na corrente sanguínea. A ideia é evitar o excesso de glicose na circulação, minimizando o consumo de carboidratos concentrados.

Gorduras, proteínas e vegetais de folhas verdes são opções melhores, e esses alimentos podem fornecer a glicose mínima necessária, sem causar dano à glicação.

Em resumo, as gorduras naturais ​​são boas para você, e a dieta cetogênica pode ter um efeito de prevenção profundo e positivo sobre uma infinidade de doenças, uma vez que proporcionam uma excelente ferramenta para a recuperação e manutenção da saúde e bem-estar, até ao nível celular.

(Ellen Davis é a criadora e dona do  www.ketogenic-diet-resource.com )


Meu nome é Cristine e este blog é para você. Ele também representa um novo começo para mim.

Sou apaixonada por saúde, moro na Florida, USA e administro nossa empresa de exportação.
4 Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *