Alimentos Fermentados – Lição da Sally Fallon – Nr 2 03/12/2015

Lição nr 1 aqui!

Dia 9 de Novembro tive o imenso prazer de compartilhar o que aprendi sobre alimentos fermentados com um seleto grupo de interessados em Blumenau. O encontro aconteceu na Neuro Psi Clinica http://www.neuropsiclinica.com/ e entre os  participantes haviam clientes da Valeria e do Ronaldo, os donos da clínica e amigos meus que já acompanham o NutrInForma. Veio gente até de cidades vizinhas! Tivemos a participação de uma médica e uma nutricionista, quanta honra!

12231353_10208033077333097_1104379066_n

A Flora bacteriana esta tomando tanto reconhecimento que a medicina alternativa está tratando ela como um novo orgão do corpo humano, já que sem ela morremos. ( Dra. Natasha Mc-Bride)

Por que escolhi o tema “alimentos fermentados”? Porque eu tinha a palavra bactérias na minha lista de palavras nojentas, mas quando eu acessei esta informação, uma luz acendeu no andar de cima:

“Na fundação Weston Price observamos as características saudáveis em dietas tradicionais, e uma coisa que você encontrará em toda dieta tradicional é o que chamamos de alimentos lacto-fermentados. Estes são alimentos que na verdade foram preservados por um processo chamado fermentação láctica que aumenta o ácido láctico na comida. Esse ácido láctico age como um conservante, por isso é uma maneira de preservar os alimentos, mas outras coisas acontecem quando você faz a lacto fermentação, você terá mais um monte de enzimas na comida e você terá um monte de boas bactérias no alimento. As pessoas dizem “eca” bactérias, mas agora sabemos que é absolutamente necessário termos dessas bactérias em nosso trato intestinal para sermos saudáveis. Este é um novo paradigma que foi popularizado nos últimos dez anos “Como é que as pessoas tradicionais obtiveram essas bactérias em seus tratos intestinais?” Eles obtiveram isso através destes alimentos lacto fermentados. Agora o que é mais familiar para as pessoas é chucrute. Não estou falando sobre o chucrute pasteurizado em latas que as pessoas compram. Estou falando de um alimento fermentado cruamente pela vida. Ele é carregado de enzimas e bactérias boas, ácido láctico e um monte de coisas que ajudam a digerir a comida. Você pode pensar em picles, você pensa em chutneys, queijo em um sentido que é todo o ativo de muitos de queijo e iogurte. Pessoas fizeram bebidas, ​​refrigerantes saudáveis da mesma maneira. As antigas cervejas de raiz eram lacto fermentadas. Então, precisamos voltar a ter estes tipos de alimentos em nossa dieta. Eles são muito protetores, são fortalecedores, lhe dão muita estamina, energia e são muito úteis na digestão.”

Há uma abundância de terapias nutricionais que ajudam você a alcançar novos níveis de boa saúde. Mas existe uma… que tem benefícios fenomenais: a introdução de alimentos fermentados.

A história mostra que os romanos consumiam sauerkraut ( chucrute) os hindus costumam beber lassi  (coalhada de leite) , antes da janta para forrar o estômago com boas bactérias, os Búlgaros eram conhecidos pelo alto consumo de kefir, outra forma de fermentação do leite e eram conhecidos por serem muito fortes e saudáveis. O povo da Mongólia, muitos até hoje ainda nômades consomem leite de égua fermentado e enfrentam os invernos gelados sem adoecer. Ucranianos e buttermilch (líquido resultante da procução manual da manteiga) tem história juntos. Além de fermentação ser um método de preservação dos alimentos numa época em que não existiam geladeiras, sabemos hoje que as bactérias resultantes da fermentação natural de alimentos crus são essenciais para o equilíbrio da nossa flora bacteriana.

Você sabia que o número de bacterias no nosso intestino é dez vezes o número de células no nosso corpo? Isso é impressionante!

Então quais são as vantagens dos fermentados:

Importantes nutrientes: Alguns alimentos quando fermentados liberam altos níveis de vit K2, que ajuda na prevenção da placa arterial e doenças cardíacas. Queijos fermentados naturalmente têm isso. De modo geral quase todos fermentados conseguem produzir vitaminas da familia B também.

Fortalecimento do sistema imunológico: 80% do nosso sistema imunológico está no intestino. Probióticos maximizam a operação do sistema imunológico mucosal ( a mucosa que reveste os intestinos)

Desintoxicação: Fermentados são chelantes. As bactérias conseguem extrair uma variedade grande de toxinas do seu corpo, inclusive metais pesados.

Barato: 100 x + probióticos do que qualquer industrializado promete e é fácil de fazer em casa.

Variedade Natural de microflora: cada fermentado tem um tipo diferente de bactéria. Bom manter a diversidade, por isso enjoamos de algo se comemos sempre a mesma coisa. Tente manter uma variedade na sua rotina alimentar. Existe um universo de alimentos fermentados e tenho certeza que você pode encontrar inúmeras receitas pela internet. Certifique-se sempre que o método usado é natural  (sem aditivos químicos) e que os ingredientes são crús. Não confunda fermentação com conserva em vinagre onde o alimento é geralmente cozido. Isso é alimento morto. Fermentação é um processo de preservação vivo, portanto alguns critérios são importantes a serem observados quando você escolher alimentos fermentados: se foi cozido, pasteurizado e inclui vinagre, não é mais vivo.

Alguns exemplos de alimentos fermentados:

– Iogurte, coalhada e queijinho branco feito em casa de leite cru;

– Vegetais fermentados;

– Chá fermentado, Kombucha;

– Kefir de água e de leite;

– Sourdough, o pão de fermentação natural;

A medida que você for se familiarizando com os fermentados verá que é muito fácil incluí-los em todas as suas refeições a ponto de você sentir falta quando não tem fermentado na mesa. Vai por mim, é um vício que vale a pena.

Como o planeta não pode viver sem árvores, nós não podemos viver sem bactérias, fungos e virus que compõe a sua microflora e temos que alimenta-los sabiamente para não haver a superpopulação de um ou outro.

Problemas decorrentes da falta de uma flora bacteriana equilibrada:

Comportamento: Experimentos com ratos sem flora bacteriana mudam de comportamento e assumem atitudes de alto risco. Coisas que amedrontam os ratos normais atraem facilmente os ratos sem flora bacteriana.

Expressão Genética: Flora ajuda seus gens a comportarem-se da maneira como foram programados, ou seja: lutar pela vida, combater doenças, equilibrar o sistema, auto regular-se, orientar-se: Auto preservação.

Diabetes: muito evidente a diferença entre o perfil da flora de um diabético e de uma pessoa sadia. Eliminar grãos e açúcares e introduzir fermentados e vegetais crus reverte a flora e a conclusão vocês ja sabem.

Obesidade: falta de flora bacteriana ativa e capaz de processar os alimentos ingeridos gera acúmulo de matéria e a conclusão vocês já imaginam.

Autismo: aqui vem um assunto delicado: é muito importante que nos primeiros 20 dias de vida de um bebê, a flora bacteriana seja equilibrada. O bebê de parto natural tem a oportunidade de entrar em contato com a flora bacteriana vaginal durante o nascimento. Esta e’ a primeira vacina, o primeiro contato com flora bacteriana externa, porque durante a gestação a flora bacteriana da mãe já vai passando para o bebê e começa a popular o mesmo. O bebê de cesária já esta em desvantagem. Por isso é tão importante que mulheres que planejam engravidar tomem como uma das primeiras providências: cuidar da sua flora bacteriana. Bebês vacinados antes da flora estabelecida enfrentam grande dificuldade de reequilibrar o sistema imuno pq a vacina mimica a doença em escala inferior e isso ja é suficiente para desgastar o sistema imunológico do bebê que nasce com desvantagem em flora bacteriana, defasando imensamente flora existente. Daqui pra frente, muita coisa pode dar errado. E por isso tantos cientistas nos E.U. estão lutando para provar a ligação entre autismo e vacinação de infantes. Mas isso é assunto para outro segmento.

Dra Natasha Mc-Bride, neurologia treinada na Russia, vive na UK criou o protocolo dietético conhecido por GaPs Diet. Sindrome da Psicologia e Intestino. Ela criou esta dienta para selar e curar os intestinos. O filho dela nasceu com autismo e isso despertou a pesquisa baseada em conhecimentos tradicionais e hoje ela usa alimentos para reverter condições como autismo, depressão, ansiedade e outros problemas de ordem psíquica, emocional e mental. Muito interessante a relação entre intestino e cérebro. Não é a toa que antigos diziam que o intestino é o cérebro de baixo.

Ela escreve que toda e qualquer disfunção no cérebro está diretamente ligada`a disfunção no intestino. Hipocrates já disse que toda doença começa no intestino. E hoje, com as ferramentas científicas foi provado que ele estava certo.

Aqui vai então um breve resumo do que conversamos:

GUIA PARA REESTABELECER A SAÚDE.

– Remover os agentes inflamatórios e acidificantes:

NÃO COMER ALIMENTOS PROCESSADOS

– Reestabelecer o sistema imunológico que depende 90% da flora bacteriana:

INGERIR ALIMENTOS FERMENTADOS

– Desintoxicar-se:

INGERIR ALIMENTOS FERMENTADOS

e

MINIMIZAR A EXPOSIÇÃO A PRODUTOS TÓXICOS

(produtos químicos de limpeza, cosméticos, aromatizadores de ambientes, etc.)

– Nutrir-se de:

ALIMENTOS FEITOS POR MÉTODOS TRADICIONAIS.

ALIMENTOS DENSOS EM NUTRIENTES.

– Suplementar (será explorado num próximo segmento)

O que é um ALIMENTO PROCESSADO?

– Produto que precisa ser produzido em  uma fábrica ou que contém mais de 3 ingredientes (com pouquíssimas excessões);

– Produto que contém pelo menos 1 ingrediente que a sua avó não saberia pronunciar;

– Se não existia há 70 anos atrás você não precisa deste alimento para viver.  Economize o seu $ para comprar comida de verdade.

O que são ALIMENTOS TRADICIONAIS?

– São alimentos que nossos ancestrais consumiam preparados por métodos antigos que mantinham e aumentavam os o poder nutricional dos alimentos;

– Utilizam ingredientes que ainda tem a aparência original ou mais próxima da original possível.

Passos para fermentação de vegetais:

– Acomodar os vegetais em um vidro lavado (não purificado) de modo que fiquem bem apertados.

– Dissolver 2 colheres de sopa  rasa de sal céltico em 1 litro de  água purificada (importante que esta água não contenha cloro).

– Despejar esta solução sobre os vegetais. É importante que todos os vegetais fiquem submersos. Para isso usei um vidro pequeno que posicionei sobre os vegetais e o forcei para baixo fechando a tampa sobre ele. Tampe com a válvula e deixe descansar à temperatura ambiente.  No terceiro dia você pode abrir e provar. Se estiver do seu gosto, pode trocar pela tampa normal e guardar na geladeira.  Senão, mantenha à temperatura ambiente e vá checando a cada dia até atingir o ponto de fermentação desejado.

12195816_602026179935538_2329327441851272175_n

Acima você vê a jarra de verduras fermentando por 3 dias. A água já tem aparência turva, sinal de atividade bacteriana.

Bora fermentar alguma coisa? Bom proveito e saúde!!!

Cristine: www.NutrInForma.com.br

Valéria: www.NeuroPsiClinica.com

Lição 3 aqui!


Meu nome é Cristine e este blog é para você. Ele também representa um novo começo para mim.

Sou apaixonada por saúde, moro na Florida, USA e administro nossa empresa de exportação.
5 Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *